Gente tratando de gente,

com qualificação, tecnologia e inovação.

Novo serviço de cirurgia vascular começa a funcionar no Recife

Um novo serviço gratuito de cirurgia vascular começa funcionar a partir desta terça-feira (31) para atender os pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). A medida é para desafogar as emergências do Hospital Getúlio Vargas (HGV), no bairro do Cordeiro, na Zona Oeste do Recife e no Hospital da Restauração (HR), no bairro do Derby, área central da capital pernambucana. Os pacientes que chegarem a esses hospitais com problemas de trombose venosa profunda e isquemia crítica nas pernas poderão ser encaminhados para Real Hospital Português de Beneficência em Pernambuco.
 
Em entrevista ao Bom Dia PE nesta terça, o cirurgião vascular e chefe da unidade, Walter von
Soshten, explicou sobre essas doenças. A trombose é um coágulo em uma veia profunda da perna. Esse coágulo pode migrar e ir para o pulmão, causando uma embolia. “Ela atinge um público maior. Pode aparecer em uma mulher jovem que toma anticoncepcional e até em uma pessoa idosa com problema de câncer, que é uma das causas de trombose venosa. A pessoa já na nasce com uma trombofilia, que é hereditária. Ela já nasce com alterações no sangue que predispõem a causar a trombose venosa profunda, que vai provocar o coágulo”, afirmou von Soshten.
 
Já a isquemia é quando o sangue deixa de chegar a uma área especifica do corpo. Essa área não vascularizada morre, gangrena e pode levar à amputação do membro. Segundo o médico, a maioria dos casos ocorre com pacientes mais idosos, que já possuem uma doença arteriosclerótica. A doença também está associada ao fumo e ao diabetes.
 
“O perigo é que essas têm quer tratadas com muita precocidade, porque criticamente a trombose pode levar a uma embolia pulmonar e cronicamente pode levar a uma entidade que se chama síndrome de pós-trombótica, que traz várias repercussões ao paciente, desde edemas, varizes até uma úlcera valicose”, explica o cirurgião vascular.
 
Ele alerta ainda que pacientes que sofrem com essas doenças precisam ser acompanhados permanentemente. “A pessoa pode se afastar do trabalho. As doenças são causas de falta ao trabalho e na nossa comunidade e no interior é a trombose pós-trombótica, que é muito pouco conhecida”, disse von Soshten.
 
O atendimento a pessoas com essas enfermidades acontece nas unidades do HGV e no HR. De uma dessas duas unidades, o paciente pode ser encaminhado para o Hospital Português, onde realizará o tratamento.

Data: 20/05/2013

Voltar

Responsável Técnico

Dr Eymard Francisco Brito de Oliveira CRMMG 20.595 RQE 14.656

(35) 3212-7267

contato@angiovas.com.br
2017 - Angiovas - Todos os direitos reservados

Av. Brasil, 27 - Vila Pinto, CEP: 37.010-680 - Varginha-MG

desenvolvimento web: sites & cia